SHARE
A REVISTA DO GRUPO ATLAS COPCO
AO SEU DISPOR
O especialista em serviços Tomasz Bugaj sabe como manter os negócios e a sociedade...
A LOCAÇÃO SOLUÇÃO
Nossas soluções flexíveis executarão o trabalho em todas as condições.
RASPAGEM para segurança
Saiba por que este centro de educação sul-coreano mudou para o fornecimento de nitrogênio no local
Claramente superior
A escolha das soluções de vácuo mais eficientes fará toda a diferença.
Água limpa MUDA VIDAS
Nossa iniciativa Água para Todos apoia comunidades com acesso limitado...
Editorial
Uma palavra do presidente e CEO Mats Rahmström.
Possibilitando A MUDANÇA
As soluções de montagem industrial estão no centro da revolução do carro elétrico.
"ERGONOMIA É FUNDAMENTAL"
A engenheira de ergonomia Ava Mazaheri discute as exposições de força e o excelente design de produto.
Especialistas no campo
Revendedores locais e fornecedores de serviços garantem que todos os clientes tenham suporte no local
Portal para o CRESCIMENTO
Uma visita à China, a segunda maior economia do mundo.
"O DESENVOLVIMENTO CONJUNTO É O MELHOR CAMINHO A SEGUIR"
A Atlas Copco faz parte do Ecossistema criado para expandir as fronteiras científicas.
Mantendo seco
Um processo de desenvolvimento de 10 anos resultou em uma inovação que muda tudo.
FAZENDO A DIFERENÇA
A sociedade moderna depende de ideias industriais que ganham forma com nossas ferramentas.
FAZENDO A CONEXÃO
A gerente de logística Katey Kim oferece suporte aos fabricantes mundiais de semicondutores.
SEM DESPERDÍCIO BAIXAS EMISSÕES
E se as máquinas industriais adaptassem seu uso de energia à necessidade de produção?
VISÃO PERFEITA
A produção totalmente autônoma não é mais uma ilusão. Graças a sensores óticos extremamente precisos.
Energizado e pronto para trabalhar
Tornar-se elétrico é um passo importante em direção a um futuro neutro em carbono.
ESPECIALMENTE DISEÑADO PARA RENDIR
Uma inovação desenvolvida especificamente para a indústria de GNL em expansão.
Receita para o sucesso
Explore alguns dos principais ingredientes necessários para permanecer um líder em tecnologia
Definindo O TOM
Você sabia que até o desempenho de Jimi Hendrix dependia do vácuo?
FABRICAÇÃO MAIS INTELIGENTE
Imagine uma fábrica onde máquinas inteligentes operam de forma autônoma e transferem dados sem atraso.
Equipe inteligente + smartphone = produto inteligente
Conheça os inovadores por trás da bomba de vácuo de garra seca DZS VSD+.
FERRAMENTAS INTELIGENTES PARA A VIDA MODERNA
Ferramentas industriais transformam o mundo.
ESTRELA da tela
Provavelmente, uma bomba de vácuo seca iXL900R fez sua tela.
O sucesso está nas cartas
Uma solução de serviço orientado a dados que fornece feedback em tempo real.
Aproveitando o potencial MERCADO DE ENERGIA VERDE
O Gerente de Mercado Rasmus Rubycz está pronto para aproveitar novas oportunidades.
O PODER DO ZERO
A torre de iluminação Z3+ é uma inovação com emissão zero, com ruído zero.
O começo de algo grande
Nossa primeira perfuratriz a bateria se destaca.
Aperto para decolagem
Montagem de aviões, a maneira inteligente.
Transformando maçãs em PURÊ DE MAÇÃ
O ar comprimido é necessário em todos os lugares, até mesmo na preparação de comida para bebês.
Quando o trem bate no avião
Quando a o setor ferroviário equilibra custos, velocidade e sustentabilidade melhoram o ar e o mar.
A REVISTA DO GRUPO ATLAS COPCO
“O desenvolvimento conjunto é o
melhor caminho a seguir
A Atlas Copco faz parte do “Ecossistema Wallenberg,” criado para expandir as fronteiras científicas. Os dividendos que geramos contribuem para um fluxo em que bilhões de coroas suecas são concedidas para pesquisa e educação, resultando em novas ideias para o benefício das pessoas e do desenvolvimento industrial. Nesta entrevista, Peter Wallenberg Jr. explica como tudo funciona.
A Atlas Copco foi fundada em 1873 por A.O. Wallenberg, entre outros, com a missão de fabricar e comercializar materiais para construção e operação de ferrovias. Durante as décadas que se seguiram, as inovações técnicas e a competição puxaram a empresa para diferentes direções e novos campos de tecnologia, como ar comprimido e soluções de energia. A Atlas Copco continuou a crescer por meio de aquisições estratégicas.
Desde que a Atlas Copco foi fundada no início da década de 1870, nosso desenvolvimento está intimamente ligado à família Wallenberg. André Oscar Wallenberg foi um de nossos fundadores, e as fundações da família continuam sendo nossas maiores acionistas por meio de sua participação na Investor AB.
A família Wallenberg ocupou um lugar de destaque no desenvolvimento empresarial e industrial sueco desde o estabelecimento da primeira agência bancária privada do país em 1856. O banco apoiou empresas emergentes durante a primeira e a segunda revoluções industriais - muitas delas se tornando líderes globais da indústria em seus respectivos campos. Ao fazer investimentos de longo prazo nessas empresas e, em seguida, conceder a maioria dos dividendos à pesquisa e educação, um ecossistema de inovação foi criado, construído para durar por gerações. Esse sistema, e os sucessos de cada empresa que contribui para ele, agora permite bolsas anuais de pesquisa e educação de cerca de 2,4 bilhões de coroas suecas (2020).
O sistema é baseado em um grupo de fundações privadas sem fins lucrativos que são proprietárias exclusivas da holding FAM e proprietárias majoritárias da holding industrial Investor AB, que por sua vez são acionistas líderes de muitas empresas de sucesso. A maior e mais antiga fundação é a Knut and Alice Wallenberg Foundation, KAW, criada em 1917. É um dos maiores financiadores privados da pesquisa científica na Europa e apoia principalmente a pesquisa em medicina, tecnologia e ciências naturais.

Pedimos a Peter Wallenberg Jr., Presidente da KAW, Membro do Conselho de Administração da Atlas Copco e um dos representantes seniores da quinta geração da família Wallenberg, para explicar o papel da Atlas Copco neste ecossistema e o maior valor que ele traz.
Qual é o propósito deste ecossistema, e sempre foi o mesmo? O objetivo declarado da nossa Fundação é beneficiar a Suécia, apoiando a pesquisa científica básica e a educação. Embora ligeiramente mudada na década de 1920, a direção já foi estabelecida por Knut e Alice Wallenberg, que estavam muito engajados no desenvolvimento público e na promoção da ciência, comércio e indústria suecos. Para garantir que seu trabalho pudesse continuar ao longo do tempo, eles criaram uma fundação que administraria os fundos e distribuiria os subsídios. Com o tempo, fundações adicionais foram adicionadas por, ou em homenagem a outros membros da família, todos com o mesmo espírito, mas focados em áreas diferentes.
Hoje, o “melhoramento da Suécia” (landsgagneligt em sueco) não se restringe às fronteiras geográficas. Pelo contrário. A pesquisa que financiamos, embora em universidades suecas, em muitos casos beneficiam o mundo inteiro, e as equipes científicas geralmente são formadas por especialistas de vários países diferentes. Os resultados são compartilhados abertamente e podem ser usados ​​como trampolins para descobertas científicas futuras. Queremos ajudar as empresas e instituições científicas suecas a ter uma vantagem inicial, mas na verdade trata-se de colaboração global para um bem maior.
Então, como funciona o ecossistema? Baseia-se no desempenho das empresas nas carteiras de investimento das fundações, sendo a Atlas Copco uma delas. Quanto mais dividendos eles geram, mais dinheiro volta para as fundações e mais vai para P&D que impulsionará o desenvolvimento científico nas próximas décadas. Todas as partes do sistema dependem umas das outras. As fundações concedem 80% dos dividendos recebidos e reinvestem 20% nas holdings existentes ou novas.
Alguns de “seus” pesquisadores foram agraciados com o Prêmio Nobel, como a recente ganhadora do Nobel de Química Emmanuelle Charpentier. Existe um traço comum que une pesquisadores que levam a ciência para o próximo nível?
Pelo contrário, eu diria que todos eles são muito bons em ser diferentes. O que os une é que eles têm a coragem de seguir sua paixão interior e o fazem com persistência. Não é preciso dizer que eles também são extremamente brilhantes e talentosos.
Queremos permitir que esses pesquisadores explorem projetos pessoais que, de outra forma, teriam dificuldade em financiar. Quando pessoas talentosas têm permissão para seguir sua verdadeira paixão, avanços reais podem acontecer. Trabalhamos em conjunto com as universidades para encontrar e promover pesquisadores excelentes com pontos de vista e ideias únicas. Damos aos pesquisadores a liberdade de realizar alguns projetos bem complexos.
O aumento da diversidade é um aspecto importante disso. Temos um programa especial para apoiar jovens pesquisadores, trabalhamos para aumentar o número de mulheres nas ciências naturais e financiar projetos que permitem a pesquisadores internacionais altamente qualificados seguirem uma carreira em suas áreas de especialização. O mundo universitário é frequentemente baseado em hierarquias e estruturas de poder estabelecidas. Tentamos balançar um pouco esse mundo para garantir um fluxo contínuo de novas perspectivas para trazer as melhores ideias.
Vocês recebem milhares de inscrições a cada ano. Como decidem quais apoiar?
Quanto à KAW, a maior fundação, a inscrição sempre vem dos pesquisadores individuais, mas a universidade deve indicar o candidato. Em seguida, pedimos a uma equipe de especialistas para analisá-lo para garantir que o projeto seja bem pensado e de alto potencial. As inscrições mais interessantes são então enviadas para análise pelos pares, por vários especialistas internacionais de renome. Um requisito básico é que a pesquisa seja excelente e única. Não lançamos “mais do mesmo”.
Quais são os projetos mais interessantes no momento?
São tantos, mas se eu precisar escolher alguns, destacaria o investimento recém-lançado de 3,7 bilhões de coroas suecas em ciências da vida orientada por dados. Quando combinado com inovações em processamento de dados e inteligência artificial, esse campo de pesquisa terá impacto em todos os campos da medicina e das ciências naturais. Isso é particularmente importante para garantir uma melhor preparação contra futuras pandemias. Com relação a isso, também concedemos um total de 180 milhões de coroas suecas para iniciativas relacionadas à Covid-19 este ano.
Outro exemplo é o chamado Wallenberg AI, Autonomous Systems and Software Program, WASP, do qual a Atlas Copco faz parte. Quando isso começou em 2015, a Suécia estava ficando para trás nessas áreas. Ao reunir a academia e a indústria nesse programa, as coisas avançaram rapidamente e a Suécia é agora uma das nações líderes, atraindo especialistas internacionais que querem fazer parte desse desenvolvimento. Isso prova que a colaboração é sempre a forma mais eficiente.
Pessoalmente, também estou muito fascinado com o trabalho realizado no Wallenberg Wood Science Center, que explora como desenvolver novos materiais a partir de árvores. Esse é um campo altamente avançado e as pesquisas abrangem nanocelulose e fibras de madeira nanoestruturadas, por exemplo.
Que oportunidades você vê para a Atlas Copco em relação aos sistemas autônomos e à Internet das Coisas?
A revolução industrial em curso é, obviamente, um divisor de águas que traz oportunidades óbvias para empresas que entendem de tecnologia e voltadas para a inovação como a Atlas Copco. Mas não se trata apenas de digitalizar produtos e soluções ou implementar novas tecnologias. Esse desenvolvimento terá um impacto profundo nas pessoas, e as pessoas são, sem dúvida, o bem mais valioso de uma empresa.

As empresas terão de reformular a forma como trabalham, requalificar suas equipes e garantir que as pessoas participem. Isso trará uma mudança de comportamento que afetará a todos nós, incluindo seus clientes. A Atlas Copco é muito boa em incorporar empresas adquiridas e essa habilidade também pode ser aplicada a isso. O gerenciamento de mudanças será fundamental.
Substituir plásticos por madeira é um exemplo de inovação para um mundo mais sustentável. Suas fundações estão focando especificamente em projetos de sustentabilidade?
Não especificamente, mas constatou-se que grande parte dos projetos que apoiamos têm impacto direto nas áreas de sustentabilidade. Isso apenas mostra que a sustentabilidade está incorporada em todos os aspectos da sociedade hoje e não é uma questão separada. Da mesma forma, empresas de sucesso levam a sustentabilidade em consideração em tudo o que fazem. A Atlas Copco sempre foi boa em melhorar constantemente, principalmente impulsionada pelos requisitos do cliente, e vejo a sustentabilidade como uma parte natural disso.
Nós nos chamamos de “Lar das Ideias Industriais”. Você acha que esta é uma descrição precisa?
Há cerca de um ano, fui convidado para uma atividade de visitação pública na sede da Atlas Copco em Sickla, onde equipes de diferentes partes do Grupo apresentaram alguns de seus projetos de P&D mais inovadores. As soluções e o resultado foram simplesmente incríveis. Esse tipo de cultura, em que funcionários em todos os níveis têm permissão para explorar ideias mesmo que sejam um pouco "fora da caixa" e não vinculados a portfólios de produtos existentes, é extremamente valioso e algo que eu gostaria de ver em muitas outras empresas. Também é muito mais divertido trabalhar assim e isso o torna mais atraente como empregador.
A Atlas Copco é, em muitos aspectos, uma empresa de engenharia clássica e tradicional, mas a chave do seu sucesso é a sua capacidade de acompanhar os novos tempos e desenvolver continuamente o que você faz e como o faz. Um exemplo atual é a mudança do diesel para o elétrico. Como visito diferentes partes da organização, sei que isso acontece aonde quer que você vá. É uma parte profunda de quem você é.
Você vê espaço para melhorias?
Como todas as grandes organizações, você está lutando contra a velocidade, e esse desafio só aumentará com a revolução tecnológica mencionada anteriormente. Ligado a isso, eu diria que é muito importante que você estabeleça caminhos de carreira alternativos para fornecer um fluxo constante de novas perspectivas. Se anos de emprego ou certos cargos forem requisitos básicos para cargos de chefia, você automaticamente exclui talentos que ingressaram mais tarde na vida ou optaram por seguir diferentes planos de carreira. Além disso, as gerações mais jovens esperam avançar rapidamente e não é provável que permaneçam na empresa se primeiro tiverem que trabalhar 20 anos antes de serem considerados para cargos mais elevados. Os processos de contratação e promoção podem ser mais flexíveis e oferecer várias maneiras de desenvolver o indivíduo. Isso também o ajudará a aumentar o nível de diversidade.
Qual seria o seu desejo para o futuro?
A parte mais divertida desse trabalho é quando eu tenho a chance de visitar todos os pesquisadores inteligentes e apaixonados, para ouvir seus pensamentos e aprender sobre o que eles descobriram até agora. Ser capaz de apoiá-los em sua busca por inovação é extremamente inspirador e recompensador. Da perspectiva das fundações, trata-se de desbloquear o potencial de amanhã. Meu desejo seria que o mundo inteiro se unisse no respeito e na compreensão do valor de longo prazo da pesquisa. O desenvolvimento conjunto é o melhor caminho a seguir.
Siga-nos no:
Fale conosco | Faça o download da edição 2021/2022 | ©Atlas Copco AB